Lgcta2.gif (7527 bytes)

 

Rede CTA-Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 - amyra@netdoctors.com.br


03027000003 - Enviromment Justice - Finance x - Importar tecnologia e também 'respeito pela consciência nacional'?! - George Felipe Dantas

Environment Justice X Finance  - Washington, EUA

Importar tecnologia e também 'respeito pela consciência nacional'?!

Por George Felipe Dantas*

Washington, EUA- Interessante a notícia de que Fernando Henrique Cardoso certamente vetará o projeto de lei que busca estabeler em cinquenta porcento o nível mínimo de preservação florestal a ser observado em propriedades rurais da Amazonia.  Segundo o que foi veiculado recentemente pela mídia nacional e internacional, o Presidente do Brasil não aceitaria nenhum valor inferior a oitenta porcento. 

Isso sugere uma séria questão ética no trato do interesse nacional, na visão conflitante desses dois poderes da  República. Mais preocupante ainda, faz parecer que o Legislativo estaria defendendo interesses inconfessáveis, funcionando como uma espécie de loby corportivista de uma 'minoria poderosa', justo ele que, pelo menos teoricamente, encarna a vontade do povo brasileiro em sua expressão geral, nacional e não articulada em facções ou grupos de interesse 

Será possível que a 'Bancada Ruralista,' sozinha, ou até mesmo o Poder Legislativo, inteiro, possam pretender desafiar os interesses da maioria dos brasileiros e até mesmo do resto da humanidade, agindo na contra-mão da opinião pública nacional  e internacional?! Será que todos nos brasileiros merecemos mesmo ser questionados, pela maneira responsável ou não, com que tratamos esse patrimônio nacional tão importante para nossa sobrevivência e do restante da humanidade?! 

Afinal, será possível que no Brasil os representantes do povo possam  estar tão distanciados da consciência nacional? -É perturbador imaginar que isso possa ser verdade.  Isso faz evocar outras formas de 'controle ético,' tanto interna quanto externamente, em tempos de globalização.

Kathy Lee Jones é uma espécie de 'namoradinha dos EUA,' uma Regina Duarte versão norte-americana.  Apresenta um tradicional show de variedades veiculado por várias redes de estações de televisão dos EUA, atuando com o também famoso parceiro masculino Regis.  Como muitas figuras da mídia dos EUA e do Brasil, Kathy Lee endossa produtos populares que são comercializados em nome do seu prestígio junto ao público consumidor.  Um tempo atrás ela foi denunciada publicamente, internamente nos EUA, por estar endossando produtos consumidos por norte-americanos e que seriam manufaturados na Indonésia por trabalhadores vivendo e laborando em condições de extrema penúria, crianças inclusive.  Achei muito interessante que os interesses do povo indonésio pudesem estar sendo defendidos nos EUA, sob o paradigma da 'moral doméstica' do povo norte-americano, com a execração pública de uma figura popular tão querida como Kathy Lee.  A apresentadora viveu dias muito difíceis em seguida à denúncia, passando por uma séria crise pessoal em consequência disso.

No caso da mal sinada iniciativa legislativa que implica em menor preservação florestal na Amazônia, articulada em nome do interesse de facções do poder econômico nacional, é surpreendente que nossos congressistas não 'temam' o ônus político de uma iniciativa que contraria claramente os interesses da maioria da nacão, quando em outros países, os EUA a exemplo, até mesmo figuras da mídia temam o opróbrio público e seus respectivos constrangimentos.

Fico pensando em quantas vezes os 'interesses do capital estrangeiro' não já foram denunciados em nosso pais e, quedo pasmo, perplexo mesmo, de imaginar que ao contrário, nesse mesmo estrangeiro, nossos interesses nacionais possam um dia vir a ser mais e melhor defendidos pela 'consciência ética' de um outro povo, ao mesmo tempo que, internamente, nossos representantes possam estar atuando em nome de interesses domésticos inconfessáveis.

Será que vamos ter de importar do 'Primeiro Mundo', além da usual tecnologia de "bits & bytes," também o respeito pela consciência nacional, em seu respaldo numa 'supra-consciência' cada vez mais globalizada? 

George Felipe Dantas é doutor e mestre pela "Graduate School of Education and Human Development" da "The George Washington University," com atuações como consultor da ONU.  E-mail: dantasf@hotmail.com

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"     Peter Drucker

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico