Lgcta2.gif (7527 bytes)

Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 -
amyra@netdoctors.com.br


03027000074 - Environment Justice x Finance - Sustentável também começa com "S" - Por Nelson Denes Filho 11/10/00

Environment Justice x Finance

Sustentável também começa com "S"

Por Nelson Denes Filho*

Durante a apresentação das linhas gerais do denominado "plano estratégico" do BNDES-Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para o qüinqüênio 2000-2005, realizada em 3 de outubro passado na sede da instituição, o Presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou*, pouco antes da missão presidencial à Alemanha e Holanda**,  que a tônica das ações do banco de desenvolvimento deverá estar centrada no desenvolvimento social - ou seja, o "s" da logomarca da instituição - como a forma mais para permitir o crescimento econômico projetado aguardado para o País nos próximos anos.

A fala presidencial foi eminentemente otimista, referindo-se ainda a outras seis linhas de ação que compõem o alvo do "plano estratégico" : privatização, modernização dos setores produtivos, modernização da infra-estrutura, financiamento às exportações, apoio à micro, pequena e média empresas e a redução das desigualdades regionais no País.

FHC destacou o empenho governamental no processo de desestatização do setor elétrico e a necessidade de daqui em diante se desonerar a população através da redução da carga tributária existente.

O que entendemos oportuno destacar na questão que se acha inserida no "plano estratégico" do BNDES, com foco de interesse voltado às "commodities ambientais", vem a ser exatamente a necessidade de inclusão dos instrumentos que permitam viabilizar a implementação das "commodities ambientais" e a consolidação de seu mercado, no conjunto de ações que constituem esse plano.

Se é bem verdade que o "s" do BNDES deva ser "espichado" como disse FHC, também se pode considerar que "s" é de "social" tanto quanto o é de "sustentável". Assim, toda e qualquer iniciativa estratégica adotada pelo setor governamental , como é o caso do plano do BNDES, terá necessariamente que contemplar o desenvolvimento sustentável, posto que hoje não é mais possível compreender desenvolvimento social sem sustentabilidade, a qual se situa por sua vez no centro do conceito das "commodities ambientais".

Portanto, muito embora FHC não se tenha em nenhum momento referido a "sustentabilidade" ou a qualquer outro conceito correlato, mas sobretudo por tal omissão, tem-se que o sucesso das linhas de ação anunciadas pelo Governo, e isto sem grandes adaptações se estende a outras agências governamentais, estará na dependência de uma visão tornada mais ampla, na medida em que se dê a facilitação da inclusão de mecanismos de sustentabilidade nos processos adotados pelos setores produtivos, tanto mais pela recente adoção do IDH como parâmetro efetivo de orientação das políticas públicas, conforme anunciado pelo Governo.

Somente dessa forma as ações referentes à privatização, à modernização dos setores produtivos e da infra-estrutura do País, ao financiamento às exportações, ao apoio à micro, pequena e média empresas, ao desenvolvimento e à redução das desigualdades regionais no País, por tudo o mais que essas ações envolvem e implicam para sua implementação, poderão enfim vir a representar de fato o conjunto de avanços de que o País necessita. Mas, com uma bem-acertada mudança de paradigma, tudo poderá ocorrer sob uma dimensão sem precedentes.


(*)  Matéria publicada na Folha de São Paulo de 4.10.2000, pág. B-7.
(**) O objetivo da missão que ainda não foi concluída é, além da inauguração da nova Embaixada Brasileira em Berlin e o estreitamento das relações comerciais com a Alemanha e a Comunidade Européia, a retomada das negociações com o Governo alemão para aquisição do pacote tecnológico de Angra III, o que só foi possível após a entrada em operação plena de Angra II ocorrida no final de setembro, devido a imposições de ordem técnica e contratual.


Nelson Denes Filho é  Engenheiro Civil/UFPR, Especialista Projetos Empresariais e Públicos/UFPR, Especialista em Engenharia de Avaliações Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia no Paraná-IBAPE/PR e Instituto de Engenharia do Paraná-IEP e-mail : trendd_engenharia@softone.com.br


Consulte o banco de dados da Rede CTA-UJGOIAS
O Universo Jurídico do Estado de Goiás
http://www.ujgoias.com.br - ujgoias@ujgoias.com.br

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"    Peter Drucker


Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas, no Estado de São Paulo

amyra@netdoctors.com.br - www.sindecon-esp.org.br

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico