Lgcta2.gif (7527 bytes)

Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 -
amyra@netdoctors.com.br


03027104001 - Environment Justice x Finance - Dossiê Trangênicos - Valor - Nº 97 - 17.09.2000 - Entrevista Steven Druker - A ONG que atormenta a FDA - Por Mauro Zanatta 19/09/00

Environment Justice x Finance - Dossiê Trangênicos

Valor - Nº 97 - 17.09.2000

Entrevista Steven Druker

A ONG que atormenta a FDA

Por Mauro Zanatta* - De Brasília

Steven Druk quer que sejam revistos os procedimentos de liberação dos transgênicos no mundo.

Responsável por uma ação judicial que procura abalar a credibilidade da americana Food and Drug Administration (FDA), a respeitada agência reguladora de alimentos, o presidente da ONG Alliance for Bio-Integrity, Steven Druker está no Brasil para explicar as razões que, segundo ele, levaram cientistas de várias universidades dos Estados Unidos a questionar os procedimentos da agência em relação aos produtos transgênicos.

A ação acusa a FDA de ignorar importantes riscos à saúde humana, violar direitos dos consumidores e até mesmo de infringir a liberdade religiosa com o "açodamento" da liberação dos transgênicos. Ontem, na Câmara dos Deputados, Druker concedeu a seguinte entrevista ao Valor:

Valor: Em que medida a ação contra a FDA atinge o Brasil?

Druker: O Brasil é um campo de batalha importante. A Ásia e a Europa se voltam para cá porque têm abastecimento garantido de produtos convencionais. Os Estados Unidos vão forçar a mão aqui para mostrar à Ásia e Europa que eles não têm opção de onde se abastecer. Essa é a estratégia. Já se diz que a soja brasileira foi contaminada por sementes contrabandeadas da Argentina. Isso pode implicar também a produção de carne.

Valor: O que o sr. recomendaria ao Brasil?

Druker: O Brasil não deve esperar a decisão do juiz americano sobre a nossa ação. O presidente Cardoso precisa entender que tem sido enganado pelo meu governo e pelas grandes empresas de biotecnologia. Ele deu sinal verde para esses alimentos e não se deu conta da importância disso. O governo brasileiro segue o caminho mentiroso que a FDA sinaliza. Se insistir nessa direção, deve pagar o preço político por isso.

Valor: Por que a ação contra a FDA?

Druker: Os cientistas tiveram a obrigação moral de se declarar contra os criminosos da biotecnologia. Eles perceberam o quanto esses grupos são poderosos. Queremos mostrar que a FDA infringiu a lei. Eles inverteram o ônus da prova ao não provar que os alimentos transgênicos são seguros. A lei diz que cada produto deve ser testado à exaustão e que o consumidor deve ser informado sobre os riscos desses alimentos. Mesmo que existisse um consenso científico, a FDA precisaria provar que esses alimentos são seguros. Nesse caso, existe uma grande distensão dentro da comunidade
científica e da própria FDA.

Valor: E nada disso foi feito?

Druker: Há muitos cientistas que não atuaram de forma responsável e até enfrentam processos judiciais por isso. Mentem aqueles que dizem que o processo de transgenia é igual ao que a natureza faz há milhões de anos. Alguns aspectos do processo mostram que ele pode ser tóxico e ter resultados inesperados. Afinal, são produtos únicos. Os resíduos de algumas substâncias podem ser perigosos na carne, leite e ovos. Isso é alertado pelos cientistas da FDA, mas não cumprido pelos políticos da agência.

Valor: Qual a credibilidade da FDA?

Druker: Não podemos confiar na FDA nessa questão. Eles foram moralmente incorretos e cientificamente desleais. Relatos da própria agência, em 1992, admitem que se tentava colocar uma peça quadrada num espaço redondo. Os políticos da FDA mentiram e violentaram a lei ao omitir essas advertências dos seus cientistas. Ninguém mais pode encarar as recomendações da FDA de maneira séria. Não dá para aceitar a palavra de ninguém quando se trata de biotecnologia. As pessoas são levadas a falar o que se exige delas.

Valor: Se é assim, porque os americanos, tido como mais exigentes, não questionam?

Druker: Os consumidores americanos não reagem porque a mídia de lá, sob influência das empresas de biotecnologia, continua dizendo mentiras. Até hoje, eles não sabem que os cientistas movem uma ação contra a FDA. Os consumidores dos EUA acreditam que não existe diferença entre transgênicos e convencionais.

Valor: Quais são os interesses em jogo?

Druker: A FDA recebeu ordens expressas para promover a biotecnologia. O orçamento para isso é enorme desde o governo Ronald Reagan (1981-88). Os Estados Unidos sabiam que só a biotecnologia lhes daria a liderança nas exportações contra os asiáticos na União Européia. A ordem é facilitar o acesso dos países em desenvolvimento à biotecnologia. Apesar de mudar os governos, a força de empresas como a multinacional americana Monsanto continua inabalada. O establishment político obrigou a FDA a eliminar as declarações sobre os riscos e a encobrir as advertências dos cientistas. Mas as empresas se voltaram para a Casa Branca e conseguiram apoio do governo.

Dossiê Trangênicos - Coletânea organizada por Fátima Oliveira email:fatimao@medicina.ufmg.br


Consulte o banco de dados da Rede CTA-UJGOIAS
O Universo Jurídico do Estado de Goiás
http://www.ujgoias.com.br - ujgoias@ujgoias.com.br

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"    Peter Drucker


Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas, no Estado de São Paulo

amyra@netdoctors.com.br - www.sindecon-esp.org.br

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico