Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 -
amyra@netdoctors.com.br


03027111001 - Environment Justice X Finance - Amman, Jordânia - IUCN- World Conservation Union - Resumo de alguns temas tratados na reunião da IUCN/AMMAN 2000 - Por Maria de Lourdes Davies de Freitas 19/10/00

Environment Justice X Finance - Amman, Jordânia

IUCN- World Conservation Union

Resumo de alguns temas tratados na reunião da IUCN/AMMAN 2000

Por Maria de Lourdes Davies de Freitas*

A IUCN- World Conservation Union- uma entidade que congrega 112 agencias governamentais no mundo, 735 ONGs e cerca de 10.000 experts em temas de conservação e afins de 181 países realizou sua reunião em Amman, capital da Jordânia no período 4- 11 de outubro de 2000, após as reuniões de Montreal e Buenos Ayres que a antecederam, espaçadas por um intervalo de 4 anos entre elas.

Tendo sido convidada pela direção geral da entidade para participar da reunião e por congregar a mesma uma agenda gigantesca que abordou desde assuntos pertinentes a sua própria administração, orçamento e avaliação, até a discussão de 12 temas reunidos em grupos de trabalho, decidi selecionar temas que mais de perto representassem interesse que foram os temas ligados a água, papel da mulher , energia e mudanças climáticas.1. O PAIS

A Jordânia é um pais do Oriente Médio com cerca de 4,7 milhões de habitantes e extensão de 89 mil km2, semelhante ao estado de Alagoas no Brasil. Incrustada numa situação geográfica estratégica , com clima mediterrâneo de verões quentes e secos e invernos por 2/3 meses com alguns dias de neve, se situa ao lado de países como Israel , Síria, Iraque e Arábia Saudita. No momento é governada por um dos filhos do falecido rei Hussein, Abdullah um jovem de 39 anos que se esforça por manter a política de paz que seu pai construiu durante seu reinado. Colônia inglesa até 1948 tem o árabe como lingua principal não sendo difícil encontrar quem fale inglês na capital, o que escasseia quando se visita o seu interior. Não tendo petróleo e dispondo de pouca água, como a do vale irrigado do rio Jordão que corta o pais na direção norte-sul na fronteira com Israel e com um ecossistema dominado pelo deserto, o pais depende fundamentalmente de bom relacionamento com seus vizinhos para se suprir destes dois bens de consumo: Arábia Saudita supre a maioria da demanda de óleo e a Líbia financia atualmente um pipeline de 320 km que se estende do sul do pais, na localidade de Disi para a capital Amman. Com o mar Morto a oeste e o mar Vermelho ao sul ,onde dispõe de apenas 25 km de costa para o mar negociada recentemente com a Arábia Saudita, a Jordânia tem no turismo de caráter arqueológico e religioso um de seus pontos fundamentais, abrigando a famosa cidade de Petra, patrimônio cultural da humanidade pela UNESCO. O pais ,onde a distribuição de renda ainda não se realizou e onde convivem muito ricos e muitos pobres, se esforça grandemente no momento por reconstruir suas diversas cidades e vilas a partir do acordo de paz com Israel em 1976 e construir um clima de solidariedade e tranquilidade de suas fronteiras com todos os seus vizinhos.

A rainha Noor, esposa de Abdullah é de descendência jordaniana e norte-americana e desde 1987 é filiada da IUCN, empolgada com as questões ambientais. Ao longo da reunião que levou a Amman cerca de 2.000 especialistas anunciou a criação do ministério de meio ambiente da Jordânia e provavelmente a sua ministra será uma mulher entre as competentes técnicas de sua equipe. Num ambiente cordial a reunião se desenvolveu em uma semana conturbada na região, devido à violência ocorrida entre judeus e palestinos no pais vizinho de Israel com reflexos na maioria dos países do mundo onde manifestações se fizeram a favor da paz e contra a violência.

2. TEMAS TRATADOS

Durante a conferência dois dias inteiros foram destinados a discussão de 12 temas, 6 por dia, em um elenco de assuntos que variaram entre os clássicos temas de interesse da IUCN como manejo de ecossistemas, biodiversidade, wetlands e florestas até a assuntos novos como saúde ambiental, água, ambiente e segurança, ecoespaço e cultura de sustentabilidade, economia e agricultura, equidade social, e mudanças climáticas. O tema de energia foi tratado em um workshop noturno com a apresentação dos resultados de um trabalho encomendado pelo PNUD a um elenco de especialistas mundiais e coordenados pelo professor José Goldemberg da USP que proferiu palestra a respeito dos resultados do WEA - World Energy Assessment.

Previamente à reunião da IUCN o EARTH FORUM, entidade coordenada por Maurice Strong, reuniu em Amman no dia 3 de outubro convidados do mundo inteiro para um diálogo sobre caminhos da sustentabilidade e futuro dos paises levando em consideração as questões ambientais originadas durante a ECO92 no Rio de Janeiro.

2.1 AGUA

O tema água permeou muitas das discussões dos painéis durante a conferencia e teve um workshop dedicado ao assunto que tratou desde questões globais , metodologias de avaliação para engenharia de projeto e estudos de caso como o do maior delta do mundo o do rio Okavango na Botswana, África e a água no Oriente Médio e canal do Panamá.

Na sessão dedicada aos temas globais foram apresentados resultados dos trabalhos da reunião de Haia em junho deste ano, o trabalho desenvolvido pelo GWP- Global Water Partnership,-pela Comissão Mundial das Barragens que anunciou que seu trabalho estará disponivel a partir de 16 novembro próximo, alem dos trabalhos da convenção de Ramsar e da IUCN sobre o tema água, que reúne cerca de 24 projetos em um investimento de 30 milhões de dólares agora em fase de fundraising.

O assunto água nas discussões internacionais se passa em diversos binômios relacionando o recurso à paz, ao ambiente, à segurança , à natureza, à alimentação, à mulher, às comunidades, dependendo do interesse do interlocutor que o apresenta.

Há muitas iniciativas advindas das mais variadas fontes para o assunto e não é fácil perceber sua integração, chegando-se mesmo a temer muitos overlaps de interesses na discussão do tema.

No caso da Jordânia por exemplo cerca de 72% de sua água é utilizada para irrigação e na totalidade dos paises do Oriente Médio se importa água em um proporção que varia de 60 a 98% dos casos. Em Amman a distribuição na maioria dos bairros da cidade é feita apenas uma vez por semana e todos dispõem de caixas suplementares que lhes permite conviver com esta situação. A demanda per capta é de 83 l/dia /pessoa, em muito abaixo dos niveis normais de 150/250l/dia /pessoa.

Não é difícil pensar que a água provavelmente é uma das commodities internacionais mais preciosas neste inicio de século 21 para muitas partes do globo como é o caso do Oriente Médio onde dispor do bem significa poder e como consequência o exercicio imediato de uma forma nova de colonialismo moderno pelo recurso.

2.2 GENERO

Este tema foi tratado no workshop dedicado a equidade social e diversidade cultural que contou com um sessão dedicada a gênero no contexto do gerenciamento de recursos naturais. Dispondo de uma senior advisor para o assunto gênero a IUCN através de seu programa de política social apresentou experiências relatadas por mulheres em trabalhos realizados no Zâmbia, Costa Rica, e norte da África em Marrocos e Tunísia, alem de uma avaliação do assunto gênero dentro da IUCN.

Foi consenso entre palestrantes e público que a questão de gênero não terá expressão enquanto não for assumida como política pela sociedade em seus diversos segmentos sendo inoperante a atuação apenas por projetos isolados. A experiência relatada pela ministra de meio ambiente da Costa Rica e mesmo na avaliação de desempenho do tema dentro da IUCN fica patente que a questão, respeitadas as diferenças de cultura entre os povos, é um questão que se arrasta sem um avanço notório que possa produzir efeitos em uma dimensão de equidade social entre as pessoas. Foram distribuidos trabalhos que se ocupam do desenho de metodologias para incluir gênero nos projetos mas a questão fundamental de um politica assumida está longe ainda de se tornar concreta, tanto a nível de organizações, governos e outras representações de segmentos da sociedade.

Foi lembrado tambem a necessidade de se desenhar a nivel de projeto indicadores de qualidade de mudança que possam mensurar as alterações que a sociedade fará em relação ao tema, alem de incremento ao assunto de pesquisa em genero.

2.3 ENERGIA

O tema de energia foi abordado pelo cientista José Goldemberg em sua palestra mostrando os resultados do trabalho do WEA recentemente publicado em Nova York por iniciativa do PNUD. O trabalho chama a atenção dos governos e do setor privado para adotar métodos mais eficientes e mais limpos de gerar energia utilizando em escala maior as alternativas de fontes renováveis com uma maneira de garantir o suprimento e trabalhar de uma maneira sustentável ambientalmente falando. 80% da energia consumida hoje no mundo advém de produção a partir de combustiveis fosseis e assim a sociedade estará sempre gerando mais CO2. Os sistemas atuais de geração e produção de energia criam problemas de ordem social e de segurança, prejudicando o meio ambiente e a saúde humana. As recentes manifestações na Europa contra maior preço de combustivel ilustram tal situação. Atualmente 63% do que hoje é gerado em termos de energia se transforma e se dissipa principalmente em forma de calor. Se você toma um galão de óleo apenas um terço dele se transforma em energia. Assim formas novas como energia solar, eólica e hidro podem expandir o elenco de opções sem ter grandes impactos ambientais. A eficiência também ocupa papel importante na agenda de energia. Apenas a mudança de lâmpadas normais para o tipo de fluorescentes compactas e o uso de motores elétricos mais eficientes já ajudaria em muito a situação ambiental diz o especialista Richard Ottinger, da Universidade da Paz das Nações Unidas.

2.4 MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Este tema foi um daqueles que surgiu ao longo de muitos painéis e foi objeto de um seminário de dia inteiro sobre o assunto.

Após apresentações do estado da arte por região e a importância do tema, o publico foi convidado a participar do grupo na questão de sequestro de carbono, um tema polêmico para países de acordo com seus interesses estratégicos. Enquanto a maioria do países poluidores não vem com bons olhos os projetos de floresta em pé e reflorestamentos do terceiro mundo, os países da América Latina acham que este é um instrumento válido na medida que gera empregos e pode sequestrar carbono como uma opção de fazer os ricos pagarem aos mais pobres por parcela de seu comportamento no passado, gerando um modelo de consumo de energia não sustentável hoje. Muitos temas a mais se colocaram com a questão de quem teria direito a decidir sobre sequestro de carbono, sociedade em geral ou governos, a durabilidade e seriedade dos certificados emitidos, a idéia de se certificar não com pagamento em recursos financeiros mas com créditos em carbono e a noção de uma equidade social a partir do cálculo da taxa de carbono per capta/país.

Como de costume a conferência tratou de discutir e aprovar um elenco vasto de moções propostas nas suas diversas comissões temáticas e regionais que passarão a integrar a política para os próximos quatro anos a ser levado a efeito pela entidade.

Maria de Lourdes Davies de Freitas é arquiteta e urbanista( UFRJ) 30 anos na companhia vale do rio doce onde dirigiu area de projetos de planejamento regional, urbano , arquitetura , comunidades indigenas na amazonia e meio ambiente, decada de 90, diretora do programa nacional do meio ambiente do Brasil, foi diretora  internacional da secretaria de MA na administração Jose Goldemberg. É diretora da ONG  IMAH - instituto de desenvolvimento e gerenciamento de meio ambiente. consultora das nações unidas, banco mundial,  BID, OEA e OECD. publica regularmente nos temas acima descritos, editora do livro Amazonia:heaven of a new world, editora campus 1998 e em alemão em 1999. email: lourdes@muiraquita.com.br


Consulte o banco de dados da Rede CTA-UJGOIAS
O Universo Jurídico do Estado de Goiás
http://www.ujgoias.com.br - ujgoias@ujgoias.com.br

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"    Peter Drucker


Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas, no Estado de São Paulo

amyra@netdoctors.com.br - www.sindecon-esp.org.br

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico