Lgcta2.gif (7527 bytes)

 

Rede CTA-Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 - amyra@netdoctors.com.br


05000000001 - Information Commodities - x - Monitoramento Nutricional: Aumento de produtividade e garantia de sustentabilidade dos povoamentos florestais - IPEF - Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais

21.03.2000

Information Commodities
IPEF - Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais

Monitoramento Nutricional: Aumento de produtividade e garantia de sustentabilidade dos povoamentos florestais  - Livro sobre nutrição e fertilização Florestal

A principal fonte de matéria-prima para a indústria de base florestal é o eucalipto, que, no Brasil, ocupa atualmente uma área de 3 milhões de hectares. As previsões apontam para um aumento de 250% no consumo de produtos florestais brasileiros até o ano de 2010. Desta forma, com a necessidade de crescimento da produção florestal da País, o aumento da área reflorestada e da produtividade das florestas serão cruciais, passando, obrigatoriamente, por técnicas mais apropriadas de manejo, como adubação, controle de plantas daninhas e preparo de solo. 

A adubação é uma das principais práticas para o aumento da produtividade da cultura do eucalipto, já que a maioria dos plantios no Brasil encontra-se em solos arenosos de baixa fertilidade (51% concentrada em Minas Gerais e 19% em São Paulo). Entre os elementos mais limitantes para a produtividade florestal, o potássio é o principal deles. Os ganhos de produtividade com a aplicação deste macronutriente podem alcançar valores de até 118%. 

O Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF) desenvolve atualmente nas empresas florestais o monitoramento nutricional para o controle da adubação. Aliado à seleção de genótipos que sejam mais eficientes na absorção e utilização de nutrientes, especialmente o potássio, o monitoramento nutricional é a técnica utilizada atualmente para aumentar a produtividade e garantir a sustentabilidade dos povoamentos florestais ao longo dos anos e das rotações. 

O monitoramento nutricional permite a identificação de possíveis deficiências ou desequilíbrios nutricionais ainda no estágio inicial do crescimento da floresta, antes de  afetar a produtividade da planta. Utilizando a diagnose visual, principalmente a diagnose foliar, o monitoramento é feito com a planta na idade de 9 a 18 meses, para que haja tempo hábil de correção das deficiências e desequilíbrios nutricionais identificados. São recomendadas ações corretivas e ajustes nas futuras adubações. Numa segunda etapa é feita a checagem com testes ou experimentos para verificar quais foram os ganhos econômicos proporcionados pela correção das deficiências e definição das novas recomendações de adubação. 

Atualmente, apenas 30% das empresas realizam operacionalmente o monitoramento nutricional das florestas. Apesar de parecer simples, é preciso desenvolver métodos que garantam a implantação de uma ferramenta prática e operacional – já que são milhares de hectares em cada uma das empresas – permitindo o domínio da dinâmica de nutrientes necessários ao crescimento das árvores e, após a colheita dessas toras, manter ou aumentar a produtividade na busca da sustentabilidade.

IPEF Lança Livro sobre nutrição e fertilização Florestal

O IPEF está lançando este mês o livro “Nutrição e Fertilização Florestal”. Editado pelo professor José Leonardo de Moraes Gonçalves, do Departamento de Ciências Florestais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP) e pelo consultor do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF) Vanderlei Benedetti, o livro reúne, em suas 427 páginas, 14 capítulos com conhecimentos teóricos e práticos de professores e pesquisadores de renomadas instituições brasileiras. 

O planejamento deste livro culminou num simpósio sobre o tema, organizado pelo IPEF,  em maio de 1999, na ESALQ/USP. Neste evento, os diversos temas foram abordados e discutidos extensivamente. Foram proferidas 14 palestras para 165 participantes. A partir de então iniciou-se o processo de edição dos textos dessas palestras, que são apresentadas nesta obra. 

Os textos foram redigidos de forma a constituir um livro didático, destinado aos estudantes de graduação e pós-graduação em ciências florestais e áreas correlatas, bem como aos profissionais que atuam na área de implantação e manejo de florestas para fins industriais e de preservação ambiental. 

Em seus capítulos, são enfocados dados de pesquisas e experiências práticas sobre nutrição e fertilização florestal, imprescindíveis à produção de mudas e estabelecimento de florestas homogêneas e mistas. Especial destaque é dado à espécies de Eucalyptus, Pinus e nativas da Mata Atlântica, em função da maior disponibilidade de informações científicas e da experiência silvicultural do país. 

Os interessados em adquirir a publicação podem entrar em contato com Viviane, na secretaria do IPEF, telefone (19) 430-8606 e e-mail: ipef@carpa.ciagri.usp.br

Contatos para entrevista:

Prof. José Leonardo de Moraes Gonçalves – ESALQ/USP – tel: (19) 430-8644

Eng. Vanderlei Benedetti – IPEF – tel: (19) 430-8608

Eng. Ronaldo Luiz Vaz de Arruda Silveira – IPEF – tel: (19) 430-8611

Assessoria de Comunicação:

Bianca R. Moura – tel: (19) 430-8678/9716-9320  IPEF - Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais E-mail: brmoura@carpa.ciagri.usp.br


"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"     Peter Drucker

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico