Lgcta2.gif (7527 bytes)

Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 -
amyra@netdoctors.com.br


05038000004 - Information Commodities - Brasília, DF - Ministério do Desenvolvimento Agrário - Desenvolvimento Rural, Agricultura Familiar e Meio Ambiente - Microbacias e Desenvolvimento Limpo e Sustentável na Agricultura 22/10/00

Information Commodities - Brasília, DF

Ministério do Desenvolvimento Agrário

Desenvolvimento Rural, Agricultura Familiar e Meio Ambiente

Microbacias e Desenvolvimento Limpo e Sustentável na Agricultura

No último Curso de Aspectos Ecológicos-Econômicos das Mudanças Climáticas, ocorrido no Rio de Janeiro entre 28/8 e 01/09 na Firjan, o Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas foi apresentado como a melhor estratégia para implementação de projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (CDM’s) na área rural.

Programas de Microbacias existem no Brasil desde 1978, iniciando-se no Paraná há cerca de 22 anos, sempre preocupado com a sustentabilidade do desenvolvimento rural. Posteriormente, outros estados foram implementando seus projetos de Microbacias, como RS, SP, MS, RJ e Santa Catarina , conquistando prêmios a nível nacional e internacional.

Estão sendo estes projetos, em graus diferenciados, experiências exitosas, pois vêm permitindo o progresso econômico e social das comunidades rurais, concomitantemente ao aumento da qualidade ambiental, através de ações conservacionistas, como reflorestamento, recuperação de áreas degradadas, ampliação do componente florestal das unidades de produção, plantio direto, adubação orgânica, cultivo em nível, implantação de culturas permanentes, revitalização e proteção dos corpos hídricos, práticas essas que funcionam como sumidouros de carbono.

Na ânsia por modelos sustentáveis de intervenção no meio rural, outros estados e países têm buscado informações junto aos técnicos brasileiros, denotando a capacidade criativa e inovadora de nossas instituições.

Apesar do acúmulo dessas experiências e do impacto positivo no ambiente, diversos segmentos que hoje participam do processo de discussão das mudanças climáticas globais desconhecem o programa e sua estratégia local para restaurar a qualidade dos recursos naturais, organizar a produção, reestruturar os sistemas agrícolas mais fragilizados pela exploração predatória, além de criar condições sócio-políticas de melhor organização social das famílias rurais, unindo eixos produtivos, ambientais e sócio-econômicos.

Nos assusta o caminho que vem sendo percorrido com base nas propostas, até agora apresentadas, sobre "commoditites ambientais", sinalizando a criação de grandes negócios, favorecendo mais uma vez as grandes empresas rurais e aumentando a exclusão social de produtores familiares. Acreditamos que os possíveis recursos financeiros devem ser revertidos para alavancar o desenvolvimento, de modo a beneficiar as comunidades rurais, por ser esta uma real política de sustentabilidade social.

Neste sentido, o que talvez esteja faltando seja o convencimento mais ambicioso das esferas de discussão aos níveis nacional e internacional, com o firme propósito de levar às instâncias decisórias a eleger o Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas como o CDM brasileiro para a área rural.

Desta forma, convidamos as lideranças representativas da sociedade civil organziada, governos, e iniciativa privada bem como o sistema financeiro, sendo estes os contatos que exerçam influência nos fóruns de mudanças climáticas, a fim de repassar informações sobre os Programas de Microbacias em curso no país, procurando sensibilizar favoravelmente a adoção deste modelo de intervenção nas futuras convenções internacionais.

Objetivos

Traças estratégias de planejamento em microbacias hidrográficas como mecanismo de desenvolvimento limpo e no desenvolvimento da agricultura familiar.

Público

Técnicos, especialistas e autoridades atuantes no desenvolvimento rural e na questão ambiental.

16 e 17 de novembro de 2000

Centro de Treinamento do Banco Central

Brasília – DF

Programação

8h30 – Inscrições

9h – Abertura solene

Ministério do Desenvolvimento Agrário

Ministério do Meio Ambiente

Ministério da Agricultura e Abastecimento

Ministério da Ciência e Tecnologia

Banco Mundial

10h – Objetivos do seminário: O Aprendizado dos Projetos e o

Contexto Recente

Zander Navarro – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

10h30 – Intervalo

10h50 – Projeto de Recuperação, Conservação e Manejo dos

Recursos Naturais em Microbacias Hidrográficas no Estado

de Santa Catarina

Waldemar H. Freitas e Lauro Bassi – Empresa de Pesquisa

Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina

11h20 – Programa de Manejo das Águas, Conservação dos Solos e

Controle da Poluição em Microbacias Hidrográficas - "Paraná

Rural")

Nelson Bragagnolo – Centro de Coordenação de Programas

do Governo do Paraná

11h50 – Debate

12h20 – Intervalo para almoço

14h – RS - Rural

Fernanda Corezola e Norbert Hesseln - Secretaria de

Agricultura e Abastecimento do Estado do Rio Grande do Sul

14h30 – Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas do

Estado de São Paulo

José Luiz Fontes e Cláudio Batistela – Coordenaria de

Assistência Técnica Integral (CATI/SP)

15h – Debate

15h30 – Intervalo

15h40 – Programa de Microbacias em Mato Grosso do Sul

Antônio de Souza Ribeiro – Secretaria da Produção e

Desenvolvimento Sustentável de Mato Grosso do Sul

16h10 – Mecanismos Inovadores para o Financiamento e

Sustentabilidade do Desenvolvimento Rural em Microbacias

Hidrográficas

Nelson Teixeira Alves Filho – Superintendente de Microbacias

(SEAAPI – RJ)

16h40 – Debate: Uma Avaliação Comparativa dos Projetos

Apresentados

Dia 17/11

9h – Mesa-redonda: Mudanças Climáticas

Amyra El Khalili – Projeto CTA – UJGoias

Carlos Nobre – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (aConfirmar) ................................ – MMA

9h50 – Debate

10h20 – Intervalo

10h40 – Mesa-redonda: Formulação de Propostas para Adoção de

Planejamento em Microbacias e suas Relaçôes com os

Mecanismos de Desenvolvimento Limpo, Ação Extensionista

e Organização das Famílias Rurais

Waldemar H. Freitas – Empresa de Pesquisa Agropecuária e

Extensão Rural de Santa Catarina

Aécio Matos – Universidade Federal de Pernambuco

José Artur Padilha – Ministério do Desenvolvimento Agrário

11h30 – Debate

12h – Almoço

14h – Mesa-redonda: Formulação de Propostas para

Desenvolvimento da Agricultura Familiar com Base no

Planejamento em Microbacias Hidrográficas

Vanessa Fleischfresser – Ministério do Meio Ambiente

Edson Teófilo – Núcleo de Estudos Agrários e

Desenvolvimento Rural/MDA

José Eli da Veiga – Universidade de São Paulo

Zander Navarro – Universidade Federal do Rio Grande do  Sul

15h30 – Debate

16h30 – Encerramento

Avaliação/Compromisso

A presente programação está sujeita a alterações.

Maiores Informações: NEAD

Andréa Aymar email: aymar@nead.gov.br  e

Rose Moura - rose@nead.gov.br

http://www.nead.gov.br/home/default.htm
http://www.nead.gov.br/home/noticias2.htm

http://www.desenvolvimentoagrario.gov.br/noticias/noticias.asp


Consulte o banco de dados da Rede CTA-UJGOIAS
O Universo Jurídico do Estado de Goiás
http://www.ujgoias.com.br - ujgoias@ujgoias.com.br

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"    Peter Drucker


Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas, no Estado de São Paulo

amyra@netdoctors.com.br - www.sindecon-esp.org.br

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico