Lgcta2.gif (7527 bytes)

Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas no Estado de São Paulo
Rede - Sindecon Tel/Fax.: 3107.2035 - amyra@netdoctors.com.br


05041000020 - Information Commodities - Dicas Didáticas (19) - Seminário, Agenda 21, Plebiscito, Cursos, Sites, Celebrações 10/08/00

Information Commodities - Dicas Didáticas (19)

Seminário, Agenda 21, Plebiscito, Cursos, Sites, Celebrações


Ministério do Meio Ambiente

Secretaria de Política de Desenvolvimento Sustentável

Evolução do Mercado de Redução de Gases Efeito Estufa

O Ministério do Meio Ambiente, por intermédio desta Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável, vem promovendo, desde o início do ano, o ciclo de debates semanais "Economia e Meio Ambiente", contemplando diversos temas.

Dentro deste ciclo de debates, estamos promovendo uma série de palestras sobre aspectos ecológicos e econômicos da mudança climática, com participação dos principais estudiosos do tema, dentre os quais já foram contactados e manifestaram interesse os professores José Goldemberg (IEE/USP), Luiz Gylvan Meira Filho (Agência Espacial) e Luiz Pinguelli Rosa (COPPE/UFRJ).

Neste contexto, temos a honra convidar Vossas Senhorias para o primeiro
seminário da série:

"Evolução do Mercado de Redução de Gases Efeito Estufa"

a ser proferida pelo Sr Nuno Silva, Diretor da Eco Securities Brasil

Local: Auditório Guimarães Rosa / FUNARTE - Esplanada dos Ministérios - Bloco B  -Térreo - Brasília - DF

Dia e hora: 10 de agosto, Quinta-feira, das 9:00 às 12:00 hs

Inscrições antecipadas (nome e instituição): sds@mma.gov.br

Maiores informações pelos tels (61) 317-1092 e 317-1093

André Santos Pereira
Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável
Ministério do Meio Ambiente email: andrepereira2000@uol.com.br


Palestra no IEE - USP

Estamos inaugurando uma série de palestras noturnas sobre áreas diversas da Economia e Política do Petróleo e Gás Natural.

Os eventos são gratuitos e ocorrerão nas 5as-feiras, 18:00 às 20:00, na sala de aula do Programa de Energia da USP - Instituto de Eletrotécnica e Energia - IEE/USP. As palestras se inserirão no bloco de atividades extras da disciplina de Petróleo e Gás Natural II do Programa de Energia da USP. Porém, são eventos independentes que não exigem pré-requisitos para a participação.

Endereço:
Av. Professor Luciano Gualberto, 1289 - Cidade Universitária
05508-900 - São Paulo - SP
Tel. 3818-4912 R. 410 (com Prof. Edmilson) - edsantos@iee.usp.br

Primeira Palestra - Quinta-feira, 10 de Agosto de 2000

A série será inaugurada com a palestra do Sr. Laércio do Prado Freires da PETROBRAS, que discorrerá sobre A Evolução do Parque de Refino em Mercados Maduros e Mercados Emergentes - Algumas considerações para a realidade brasileira.

Estão todos convidados. Podem, icnlusive, divulgar o evento para outros colegas interessados.

Obrigado, Edmilson email:edsantos@iee.usp.br 


Site do BNDES

Sugiro ao colegas que se interessam pela area de economia florestal  que visitem o site do BNDES uma vez que o mesmo publica uma serie  chamada de Informe Setorial e nesta serie tem um especifico sobre  Produtos Florestais.  Os mesmos sao muito bem elaborados e de alta  qualidade e disponibilizam uma gama de informacoes.

O site do BNDES eh: http://www.bndes.gov.br

S. Kengen. email: skengen@sede.ibama.gov.br


CIMI - CEPEDES

Convite para a celebração Pataxó de 1 ano da Retomada

Aldeia Nova do Monte Pascoal, 02 de agosto de 2000

 A Comunidade Pataxó do Monte Pascoal, convida os parentes, as entidades de apoio, autoridades, imprensa e amigos, para participarem da Celebração de 1 Ano da RETOMADA DO MONTE PASCOAL, território tradicional dos Pataxó.

O evento acontecerá dia 19 de agosto do corrente ano, no pé do Monte Pascoal, a partir das 9 horas.

PROGRAMAÇÃO:

- Ato Ritual Pataxó;
- Pronunciamento de lideranças e outras autoridades;
- Apresentação do manifesto de 1 ano da Retomada;
- Plantios de mudas no Monte Pascoal;
- Encerramento com um almoço;

Contamos com a participação de todos.

Comunidade Pataxó do Monte Pascoal

CIMI/CEPEDES
Rua Paulino Mendes Lima, 53 - Anexo - Centro - Eunápolis - Bahia - Brasil
Mail to: cimi-cepedes@sulbanet.com.br

Divulgado por Lucas - Flora Brasil Comunicaçao - lucas.mh@wanadoo.fr


CREA RJ

Programa de Convivência com Semi-Árido do Nordeste

Estamos convidando para a palestra Programa de Convivência com Semi-Árido do Nordeste,  com o palestrante: Eng. Francisco Guedes Alconforado.

Data: 05 de agosto de 2000 - Sábado
Horário: 10h
Local: Auditório do CREA-RJ
Rua Buenos Aires, 40 - 4º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ

Participe!

José Chacon de Assis - Presidente do CREA-RJ - www.crea-rj.org.br email: presidente@crea-rj.org.b


IPEF

ISO 14000 é tema de Curso de Capacitação

O Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF) está realizando, no dia 21 de agosto, o curso “Introdução às Normas ISO 14000”, na ESALQ/USP, em Piracicaba/SP.

Considerando que a credibilidade ambiental é um fator de competitividade internacional, adicionalmente a presença de acordos multi-laterias  e  o Mercosul, fazem da ISO 14000 uma exigência de mercado, o evento tem como objetivo oferecer informações e conceitos, sobre a norma ISO 14000, capacitando profissionais na introdução  dos conceitos relacionados à Gestão do Sistema da Qualidade Ambiental.

Voltado para diretores e gerentes de empresas, profissionais liberais de nível superior, consultores das áreas jurídica, de controle e de planejamento ambiental, e estudantes da área de Engenharia e Direito, o curso terá como instrutor Josimar Ribeiro de Almeida, pós-doutor em engenharia ambiental, doutor e mestre em Ciências Biológicas, pesquisador I do CNPq e professor da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Os  tópicos abordados serão: visão geral da ISO 14000; evolução das normas sobre qualidade ambiental; fatores de sucesso da ISO 14000; tabela de correspondência com a ISO 9000; análise comparativa dos modelos de garantia; terminologia - NBR ISO 8402; apresentação dos requisitos da NBR ISO 14001; e Sistema de Gestão Ambiental (auditorias, treinamento e exercícios).

Os interessados em inscrever-se ou em mais informações sobre o curso podem entrar em contato com o Setor de Eventos do IPEF, telefone (19) 430-8603, fax (19) 430-8602 e e-mail: eventos@carpa.ciagri.usp.br. No site do IPEF (www.ipef.br/eventos) é possível acessar a programação completa do curso.

Bianca Rodrigues Moura  - Assessora de Comunicacao  - IPEF - Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais - Tel: (19) 430-8678 / (19) 9716-9320

E-mail: brmoura@carpa.ciagri.usp.br  - http://www.ipef.br/


Ministério do Meio Ambiente - Agenda 21

Calendario de debates estaduais da Agenda 21 brasileira

As próximas etapas do processo de construção da Agenda 21 nacional

 As próximas e últimas etapas do processo de construção da Agenda 21 Brasileira serão: os debates estaduais, durante o segundo semestre; e os encontros regionais, no início do ano 2001 (veja cronograma, em anexo).
Esses eventos objetivam captar mais propostas e recomendações da sociedade civil e de seus diversos setores e segmentos.  Tais constribuições da sociedade brasileira serão apresentadas nos debates estaduais, por meio das entidades civis representativas ( associações, clubes, sindicatos, igrejas, federações, universidades, etc). Os encontros regionais terão como objetivo a sistematização  das propostas apresentadas nos debates estaduais por região. Após a realização dos encontros regionais, a comissão da Agenda 21 nacional trabalhará na finalização do documento, que se constrituirá na primeira versão da Agenda 21 Brasileira. A expectativa da CPDS é de que o documento final deverá estar concluído em meados de 2001, quando será lançado oficialmente e entregue à Presidência da República e ao Congresso Nacional.

O que é a Agenda 21?

 " Pense globalmente, aja localmente", este é o slogan da Agenda 21, um dos
principais compromissos da CNUMAD-Conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro, em 1992  (a Eco-92), cujo objetivo principal é a mudança do padrão de desenvolvimento, a ser praticado pela humanidade no século XXI, denominado Desenvolvimento Sustentável e que deverá conciliar justiça social, eficiência econômica e equilíbrio ambiental. A Agenda 21 Global desdobra-se em nacionais, regionais (ou estaduais) e locais.

 A metodologia da Agenda 21 Global define que as comissões ou fóruns responsáveis pela elaboração e implementação das agendas 21, devem ser compostos por representantes do governo, sociedade civil organizada e setor produtivo. O processo participativo é a principal característica da Agenda 21.   Quando concluída, a agenda será um poderoso instrumento para o planejamento e  planos de desenvolvimento dos países, regiões e municípios.

Os 179 países participantes da Eco-92 comprometeram-se em elaborar e implementar as agendas nacionais, regionais e locais. Cerca de trinta países o fizeram, até o momento - entre eles, Alemanha, França, Itália, Índia e China.  Em 2002, será realizada uma conferência de cúpula da ONU que está sendo denominada de Rio + 10, quando os compromissos assumidos em 92 serão avaliados por representantes governamentais, de ONGs e de outros setores da sociedade. A ONU decidirá ainda este ano em que local será realizada a Rio + 10, que tem como objetivo também resgatar e re-mobilizar as organizações para o cumprimento daqueles compromissos. Brasil, Coréia do Sul e África do Sul candidataram-se a sedir a Conferência.

 O processo de construção da Agenda 21 nacional

O ponto de partida do processo de construção da Agenda 21 Brasileira foi o decreto presidencial de 26 de fevereiro de 1997, que criou a CPDS-Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e Agenda 21, composta por dez membros - sendo cinco representantes do governo federal (Ministério do Meio Ambiente, que preside a comissão; Ministério do Orçamento e Gestão, Ministério das Relações Exteriores, Câmara de Políticas Sociais da Casa Civil da Presidência da República e Ministério da Ciência e Tecnologia) e cinco representantes da sociedade (Fórum Brasileiro de Organizações Não Governamentais e Movimentos Sociais para Meio Ambiente e Desenvolvimento, Fundação Movimento Onda Azul, Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável, Fundação Getúlio Vargas e Universidade Federal de Minas Gerais). Coube ao Ministério do Meio Ambiente presidir a CPDS e provir técnica e administrativamente a comissão. A equipe do Projeto Agenda 21, composta por técnicos do MMA, está ligada ao Departamento de Articulação Institucional e Agenda 21/Secretaria Executiva do MMA, e responde pela secretaria executiva da comissão.

Presença de ONGs

 O representante do Fórum Brasileiro de Organizações Não Governamentais e Movimentos Sociais para Meio Ambiente e Desenvolvimento na CPDS, Dr. Rubens Harry Born (coordenador do Vitae Civilis Instituto para o Desenvolvimento, Meio Ambiente e Paz e da ABDL- Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças) esta disseminando a informação para as ONGs brasileiras, como parte dos esforços para a participação dessas organizações nos debates estaduais. Os demais representantes de organizações da sociedade na CPDS,Jucá Ferreira da Fundação Ondazul, e Dr. Roberto Cavalcanti, da Conservation International, também estâo engajados nesse processo.

Como  e onde obter mais informações

Todas as informações sobre o processo de elaboração da Agenda 21 Brasileira estão disponíveis  na home page do MMA, a saber: www.mma.gov.br/a instituição/Agenda 21 . Esclarecimentos adicionais podem ser obtidos com Ascom e Ass.Comunicação Agenda 21 do Ministério do Meio Ambiente, Tel: (61) 317.1227 / 317.1256 / 1142.

Dilvulgado por Eduardo Athayde - Editor do Worldwatch no Brasil   - email: uma@worldwatch.org.br 


Participe do Pebliscito Nacional da Dívida Externa

DE 2 A 7 DE SETEMBRO

Entre 2 e 7 de setembro o povo brasileiro terá a oportunidade de opinar sobre a dívida externa do país no grande Plebiscito Nacional da Dívida Externa.

Em todos os Estados haverá locais para a consulta e urnas para coleta da sua opinião sobre três pontos ligados à dívida externa:

    1. O governo brasileiro deve manter o atual acordo com o Fundo Monetário Internacional?

    2. O Brasil deve continuar pagando a dívida externa sem realizar uma auditoria pública desta dívida, como previa a Constituição de 1988?

    3. Os governos federal, estaduais e municipais devem continuar usando grande parte do orçamento público, para pagar a dívida interna aos especuladores?

PARTICIPE. OPINE.

Por que um Plebiscito Nacional ?

Vamos propor ao Congresso Nacional que convoque um Plebiscito sobre a questão da dívida externa e interna. Mas, como normalmente nossos governantes não costumam nem gostam de consultar o povo, o Plebiscito Nacional de setembro será uma consulta aos cidadãos organizada por pessoas e entidades da sociedade civil. Este Plebiscito

- é legal, pois os cidadãos são livres para organizar este tipo de consulta;

- é legítimo, pois a questão da dívida externa está carregada de ilegalidades e injustiças, e pesa demais na vida do povo;

- seu poder é moral. Não obriga o Estado e o governo a seguirem as decisões votadas, mas põe em julgamento ético e político o Estado e o governo.

- tem grande poder de pressão e democratiza o nosso país.

O que é a Dívida Externa ?

É todo dinheiro que foi tomado por empréstimo fora do país, em troca de juros e com garantia de pagamento no final de um prazo definido. Em nosso caso, isso foi feito por governantes eleitos, por ditadores, por empresas estatais, nacionais e estrangeiras. Devia servir para buscar o desenvolvimento econômico e social. Mas sabe-se que houve muitos desvios e negociatas, e dívidas de empresas foram passadas à responsabilidade pública ou têm aval do Banco Central, que se obriga a enviar o pagamento em dólar.

A dívida brasileira tem as seguintes características:

- foi feita sem nenhuma autorização do povo;

- o governo brasileiro contratou empréstimos aceitando pagar juros variáveis. Por isso os juros aumentam sempre de acordo com a vontade dos banqueiros credores;

- o Governo vem assumindo, nos últimos anos, a dívida contraída pelas empresas;

- se somarmos os recursos já enviados ao exterior nos últimos 15 anos, os valores são várias vezes superiores ao que recebemos. Portanto, moralmente a dívida já foi paga;

- a última renegociação foi feita sem uma Auditoria Pública, como determinava a Constituição de 1988;

- nos últimos anos, o governo tem tomado empréstimos apenas para pagar os juros dos empréstimos anteriores.

Por causa disto, estamos totalmente dependentes do capital financeiro internacional. Já não somos apenas devedores. Somos, hoje, uma Nação ameaçada em sua soberania.

Uma Dívida que Ameaça a Vida do Povo

Em 1994, devíamos 148 bilhões de dólares. Nos últimos quatro anos, pagamos 126 bilhões de dólares - 226 bilhões e 800 mil reais. Assim mesmo ela não parou de crescer. Devemos, hoje, 235 bilhões de dólares.

Isso se deve ao fato de que os empréstimos foram feitos para pagar os custos da dívida, sem entrar nada para investimentos. Além disso. o país importou mais do que exportou, ficando com déficit. A desvalorização do real fez toda a dívida em dólar disparar: precisa-se o dobro de reais para pagar o que devemos. Com isso, cada vez mais se ligam a dívida externa e a interna. Em 1999, 64% dos recursos do Orçamento Federal foram destinados à amortização da dívida externa e interna e ao pagamento de juros e encargos destas dívidas. Estava previsto o gasto de 90 bilhões de reais para pagar parcelas e juros das dívidas. mas a desvalorização do real deve levar este gasto para mais de 120 bilhões de reais.

Não tenha dúvida. Cada dólar pago por causa desta dívida aumenta a dívida social. Significa diminuição de seu salário, maior desemprego, castigo aos aposentados, abandono dos povos indígenas, desinteresse pela reforma agrária e pela sorte dos produtores familiares, descuido das cidades, das estradas, das águas, das florestas, abandono da população do Semi-árido, das crianças, do povo da rua, dos idosos, dos doentes, da educação... E significa também maior fragilidade na defesa do que é nosso, favorecendo privatizações, a preços generosos, verdadeiras doações.

MAIS INFORMAÇÕES: www.jubileu2000.org.br

Por um milênio sem dívidas!

Plebiscito da Dívida Externa

Entidades que já participam da campanha

COORDENAÇÃO NACIONAL

CNBB - Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e suas /Pastorais Sociais

CONIC - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs

CONTAG - Confederação dos Trabalhadores da Agricultura

CESE

CARITAS

CMP - Central dos Movimentos Populares

CUT - Central Única dos Trabalhadores

FISENGE - Federação Interestadual de Sindicatos dos Engenheiros

IAB - Instituto dos Arquitetos do Brasil

MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

REDE BRASIL

ORGANIZAÇÃO ESTADUAL

AEPET - Associação dos Engenheiros da Petrobrás

ANDES - Associação Nacional de Docentes de Ensino Superior - Regional RJ

ATTAC - Ação pela Tributação das Transações Financeiras em Apoio aos Cidadãos

CNL - Conselho Nacional de Leigos - Regional Leste 1

CORECON - Conselho Regioal de Economia do RJ

SINDECON - Sindicato dos Economistas do RJ

CPT (Campos) - Comissão da Pastoral da Terra

FISENGE - Federação Interestadual de Sindicatos dos Engenheiros

IDEPS - Instituto de Desenvolvimento de Estudos Políticos e Sociais

MODECON - Movimento de Defesa da Economia Nacional

MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

MTC - Fórum das Pastorais Sociais

PACS - Políticas Alternativas para o Conse Sul

SENGE - Sindicato dos Engenheiros do RJ

Divulgado por Márcia C. Dib email:marciadi@internetcom.com.br


Consulte o banco de dados da Rede CTA-UJGOIAS
O Universo Jurídico do Estado de Goiás
http://www.ujgoias.com.br - ujgoias@ujgoias.com.br

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo"    Peter Drucker


Rede CTA-UJGOIAS - Consultant, Trader and Adviser
Pelo Desenvolvimento Limpo de um Novo Mercado Financeiro!
Sindicato dos Economistas, no Estado de São Paulo

amyra@netdoctors.com.br - www.sindecon-esp.org.br

[ Topo ]

UJGOIÁS - O Universo Jurídico